quarta-feira, 5 de julho de 2017

Mirror Moves - PSYCHEDELIC FURS


1 The Ghost In You   4:17
2 Here Come Cowboys   3:57
3 Heaven   3:27
4 Heartbeat   5:17
5 My Time   4:27
6 Like A Stranger   4:00
7 Alice's House   3:53
8 Only A Game   4:13
9 Highwire Days   4:01  

Com a banda, ou o que dela restava, já radicada nos EUA, em 1984 os britânicos Psychedelic Furs editavam Mirror Moves, o quarto registo oficial da banda, gravado em Los Angeles. É um registo mais arejado e bastante mais acessível relativamente aos trabalhos anteriores. Os sintetizadores aparecem bem salientes e a sonoridade dos Psychedelic Furs aproxima-se da vertente pop, conseguindo, ainda assim, manter algum do esplendor punk da fase inicial. Facilmente se conclui que Mirror Moves percorre caminhos que vão da corrente new romantic até ao movimento post-punk. A reforçar estas mudanças, há o inconfundível timbre vocal de Richard Butler a destacar-se por uma presença mais melodiosa. Os três primeiros temas proporcionam um esplêndido arranque sendo fulcral o seu posicionamento no alinhamento final deste registo. "Ghost In You" e "Heaven" foram singles de enorme êxito e "Here Come Cowboys" um sucesso menor mas igualmente importante. "Alice's House" distingue-se como a peça mais atrevida de um registo polido e simultaneamente marcante da fase de maior sucesso na carreira dos Psychedelic Furs.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Communiqué - DIRE STRAITS


1 Once Upon A Time In The West   5:14
2 News   4:11
3 Where Do You Think You're Going?   3:43
4 Communiqué   5:42
5 Lady Writer   3:38
6 Angel Of Mercy   4:29
7 Portobello Belle   4:21
8 Single Handed Sailor   4:42
9 Follow Me Home   5:42     

A deliciosa tranquilidade de Communiqué, o segundo registo oficial dos Dire Straits, editado em 1979, evidencia a jovem maturidade de uma banda de Rock'n Roll que então começava a despontar e vivia ainda o impacto do sucesso do álbum de estreia, editado no ano anterior. Sob alguma "pressão" para apresentar rapidamente um segundo álbum de forma a aproveitar o recente sucesso do trabalho anterior, os Dire Straits partiram inteligentemente para um álbum calculado e elegante sem se deixarem arrebatar em exagerados espasmos Rock. É um trabalho dominado por um groove calmo e bastante presente que assenta na quente secção rítmica enquanto os irmãos Knopfler gravavam juntos pela última vez. Acrescente-se que este álbum foi misturado no mítico estúdio Muscle Shoals Sound, Sheffield, Alabama, e produzido pelos históricos Jerry Wexler e Barry Beckett, com Beckett a constar nos créditos finais também como teclista sob o pseudónimo B.Bear.

domingo, 25 de junho de 2017

Éramos Assim - BOITEZULEIKA



1 Cão Muito Mau (Intro)   1:18
2 Cão Muito Mau   2:42
3 Cidade De Marionetas   3:07
4 Espero-te Na Estação (Comboio)   4:10
5 Marcha Sambada   5:08
6 Éramos Assim   3:50
7 Circo Do Amadeu   4:28
8 Quiseram Roubar-me Esta Noite   3:59
9 Tóxico Prostituta   3:52
10 É O Ego   4:07
11 Bolero Do Coronel Sensível Que Fez Amor Em Monsanto (Vitorino/António L. Antunes)   4:09
12 Morte Em Tempo Real   3:42
13 Adoro O Perigo   3:58
14 Bola De Sabão   5:40   

Ironicamente, "Éramos Assim" é o admirável e único registo, à data, dos Boitezuleika. Em 2004 foram a banda revelação do concurso Quinta dos Portugueses da estação de rádio Antena 3, o que valeu a gravação de um álbum a este entusiasmante coletivo originário da cidade do Porto. Ficou assim documentada a sua arte de fazer música. O álbum foi editado originalmente em 2005 e nele se pode encontrar um naipe de canções bem estruturadas dominadas por variados géneros como a bossa nova, o jazz, a música tradicional portuguesa, a música latina e o rock, claro. A tudo isto há que juntar ainda a arte de bem cantar em português. O registo é composto por treze temas bem medidos dos quais se destaca "Cão Muito Mau", o único single retirado deste trabalho. Mas há muito mais para descobrir e saborear nos 54 minutos do cd. Desde a elegância de "Cidade De Marionetas", o tropicalismo de "Marcha Sambada", a infância perdida de "Éramos Assim", um hipotético segundo single em "Tóxico Prostitutae uma belíssima recuperação do tema "Bolero Do Coronel Sensível Que Fez Amor Em Monsanto", originalmente composto por Vitorino com letra de António Lobo Antunes, há muitas histórias por contar.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Cacus - JOSÉ PEIXOTO e CARLOS ZÍNGARO


1 um1   4:09
2 dois2   2:41
3 três3   3:50
4 quatro4   4:07
5 cinco5   1:24
6 seis6   3:09
7 sete7   1:30
8 oito8   9:20
9 nove9   1:29
10 dez10   3:28
11 onze11   3:51
12 doze12   5:13
13 treze13   2:58         

Mais não fosse pelos dois nomes que assinam este registo, Cacus é um belo trabalho de improvisação em que a ordenação dos sons apenas obedece à criatividade artística de dois nomes credenciados da nova música Portuguesa improvisada. Editado originalmente em 2005, a beleza artística de Cacus começa por se manifestar na partilha musical entre José Peixoto, em guitarra clássica, e Carlos Zíngaro, no violino. Experiente guitarrista em variados campos musicais, José Peixoto começou por compor e gravar em casa todas as peças deste registo convidando, posteriormente, Carlos Zíngaro a colaborar nos temas já gravados enviando-lhe o trabalho e cedendo espaço para que o violinista execute livre improvisação sobre os treze temas apenas trabalhados originalmente em guitarra. No geral, manifesta-se como um registo contemporâneo de tendência experimental dominado por cordas.

terça-feira, 6 de junho de 2017

The Best Of - MARILLION


1 Garden Party (Edited Version)   4:31
2 Assassing (7" Version)   3:36
3 Kayleigh (Single Edit)   3:34
4 Lavender   3:40
5 Heart Of Lothian   3:34
6 Incommunicado   3:55
7 Sugar Mice (Radio Edit)   4:59
8 Warm Wet Circles (7" Remix)   4:21
9 Hooks In You (7" Version)   2:54
10 Easter (7" Edit)   4:28
11 Cover My Eyes (Pain & Heaven)   3:52
12 No One Can (Album Version)   4:40
13 Dry Land (7" Edit)   4:01
14 Sympathy   3:24
15 Alone Again In The Lap Of Luxury (Radio Edit)   4:26
16 Beautiful (Radio Edit)   4:22
17 Man Of A Thousand Faces   3:34
18 Between You And Me (Mark Kelly Mix)   4:12      

Edição em cd da retrospetiva que em setenta e dois minutos comprime as duas fases distintas da carreira dos britânicos Marillion. Apontando a dezoito dos muitos singles que a banda editou entre 1982 e 2001, o interesse deste registo manifesta-se nas prestações dos dois vocalistas que marcaram duas épocas claramente distintas no admirável percurso da banda. A primeira fase da banda, entre 1982 e 1988, tem na enorme presença do vocalista Fish uma figura marcante que liderou os Marillion na sua vertente mais artística. Foi a época em que a banda apostou numa sonoridade mais progressiva o que lhes valeu algumas comparações com os Genesis de Peter Gabriel. Os oito primeiros temas desta compilação dizem respeito a esta fase venerável. A difícil substituição de Fish recaiu em Steve Hogarth que liderou a banda na sua segunda existência entre 1989 e 2001, data de edição do último tema desta compilação. Hogarth encaminhou os Marillion para um novo rumo em que o rock mainstream ganhou alguma consistência e valeu à banda mais uma boa dose de êxitos, assim como um claro piscar de olho à abertura do tão desejado mercado norte-americano. Os temas incluídos nesta retrospetiva correspondem, na sua maioria, a misturas para singles e radio em vez das versões completas dos álbuns e no geral constituem uma boa mostra da versatilidade, e capacidade de adaptação, dos Marillion.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Evolution - JOURNEY


1 Majestic   1:16
2 Too Late   2:57
3 Lovin', Touchin', Squeezin'   3:52
4 City Of The Angels   3:08
5 When You're Alone (It Ain't Easy)   3:10
6 Sweet And Simple   4:12
7 Lovin' You Is Easy   3:37
8 Just The Same Way   3:18
9 Do You Recall?   3:17
10 Daydream   4:41
11 Lady Luck   3:34 

Evolution é o quinto álbum de originais dos norte-americanos Journey, oficialmente editado em 1979. A banda é formada por músicos tecnicamente dotados e o seu som define-se como um Rock elegante, pensado e calculado para funcionar perante as massas. Utilizando uma fórmula vencedora, os Journey soam melosos quanto baste e empregam grandes doses de romantismo a um rock harmoniosamente perfeito que aqui começava a garantir êxitos aos registos da banda originária de San Francisco e Evolution firmou-se então como mais um grande passo em direção ao estatuto de super estrelas. Vários elementos passaram pelas fileiras da banda e em Evolution gravam pela segunda vez com o vocalista Steve Perry e pela primeira vez com o baterista Steve Smith, dois elementos preponderantes na sonoridade aqui obtida. Deste registo saiu o tema "Lovin', Touchin', Squeezin'", o primeiro single da banda a ocupar um lugar no Top20 americano, e outros sucessos, embora menores, como "Just The Same Way", "Too Late" e "Lovin' You Is Easy". 

terça-feira, 23 de maio de 2017

Reading, Writing and Arithmetic - THE SUNDAYS


1 Skin & Bones   4:16
2 Here's Where The Story Ends   3:54
3 Can't Be Sure   3:22
4 I Won   4:23
5 Hideous Towns   3:46
6 You're Not The Only One I Know   3:50
7 A Certain Someone   4:25
8 I Kicked A Boy   2:16
9 My Finest Hour   3:59
10 Joy   4:10

Editado originalmente em 1990, o álbum de estreia dos britânicos The Sundays é um simpático cartão de visita, embalado pelo caraterístico timbre da vocalista Harriet Wheeler e pelo carisma do single "Here's Where The Story Ends". A banda foi formada em 1987 tendo apenas apresentado o seu primeiro single, "Can't Be Sure", no ano anterior ao deste registo e que aqui aparece incluído no alinhamento. No início de uma nova década, os The Sundays apresentavam-se ainda como herdeiros da sonoridade pop indie mais inteligente que caraterizou o rico movimento musical britâncio da década de 80. É um trabalho sóbrio, dominado por etéreas canções pop, funcionais e inteligentes, onde as guitarras de David Gavurin tem um presença fulcral na estrutura final do registo. Contas feitas, é legítimo afirmar-se que aqui os The Sundays soam como uma fusão dos The Smiths com os Cocteau Twins.