sexta-feira, 26 de junho de 2015

Beyond The Missouri Sky (Short Stories) by CHARLIE HADEN & PAT METHENY

1 Waltz For Ruth 
   (C. Haden)   4:28
2 Our Spanish Love Song 
   (C. Haden)   5:40
3 Message To A Friend 
   (P. Metheny)   6:13
4 Two For The Road 
   (H. Mancini/L. Bricusse)   5:16
5 First Song (for Ruth) 
   (C. Haden)   6:37
6 The Moon Is A Harsh Mistress 
   (J. Webb)   4:05
7 The Precious Jewel (in memory of my father Carl E. Haden) 
   (R. Acuff)   3:47
8 He's Gone Away (in memory of my mother Virginia Day Haden) 
   (Traditional)   4:18
9 The Moon Song 
   (J. Mandel)   6:56
10 Tears Of Rain 
   (P. Metheny)   5:30
11 Cinema Paradiso (love theme) 
   (A. Morricone)   3:35
12 Cinema Paradiso (main theme)
   (E. Morricone)   4:24
13 Spiritual 
   (J. Haden)   8:22          

Beyond The Missouri Sky é um trabalho de amizade e sentimentos. Vive de memórias, recordações, saudade e um grande respeito e admiração mútuo entre dois músicos, dois amigos, que partilham a região onde cresceram e de onde saíram um dia para o mundo ultrapassando os limites dessa zona comum. Após se terem cruzado algumas vezes em digressão em variadas situações, tendo inclusive trabalhado juntos noutras sessões, ficou sempre em aberto a oportunidade de um dia gravarem apenas como duo e o ano de 1996 proporcionou então a oportunidade aos dois músicos para trabalharem juntos, gravar e editar este belo registo intitulado "Beyond The Missouri Sky". 
Charlie Haden apenas com o seu Contrabaixo e Pat Metheny nas Guitarras Acústicas e demais instrumentos que aparecem no album, trabalharam sobre treze temas fantásticos num registo e formação que à partida parece limitado, o próprio Charlie Haden temia isso, mas a excelência e capacidade de improviso destes dois elementos não tem limites e o duo consegue transmitir dinamismo e harmonia aos temas escolhidos. O critério de escolha de repertório assentou simplesmente na ideia de encontrarem bonitas melodias e estruturas musicais que os tenham inspirado e o registo demonstra o quanto esse conceito foi bem aplicado através das belíssimas interpretações de "Two For The Road" de Henry Mancini, "The Moon Is A Harsh Mistress" de Jim Webb e duas peças fundamentais da banda sonora do igualmente belíssimo filme Cinema Paraíso, estes estão entre os pontos mais altos do Cd mas não nos podemos esquecer ainda de "Our Spanish Love Song" de Charlie Haden, "The Moon Song" de Johnny Mandel ou "Spiritual" originalmente escrito por Josh Haden, filho de Charlie Haden, para o seu grupo Spain. 
Beyond The Missouri Sky não é um álbum de sonho na medida em que é real e para nosso gáudio existe mesmo. Na mesma proporção os dois músicos sonharam um dia puder expandir as suas qualidades para além da sua terra e concretizaram esse sonho tornando-se figuras incontornáveis na historia da musica Norte-Americana e até mundial.    

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Local Hero - MARK KNOPFLER


1 The Rocks And The Water   3:30
2 Wild Theme   3:40
3 Freeway Flyer   1:50
4 Boomtown (Variation Louis' Favorites)   4:10
5 The Way It Always Starts   4:08
6 The Rocks And The Thunder   0:40
7 The Ceilidh And The Northern Lights   4:07
8 The Mist Covered Mountains   5:13
9 The Ceilidh: Louis' Favorite/Billy's Tune   3:42
10 Whistle Theme   0:53
11 Smooching   5:05
12 Stargazer   1:31
13 The Rocks And The Thunder   0:40
14 Going Home: Theme Of The Local Hero   5:01

Após a edição do álbum Making Movies em 1982 Mark Knopfler, o virtuoso líder dos Dire Straits, dedicou-se mesmo ao cinema através da composição e gravação de bandas sonoras começando por trabalhar a música do modesto filme "Local Hero", editada em 1983, que fica também oficialmente registado como o seu primeiro trabalho a solo. 
Uma banda sonora requer sempre ambientes que se enquadrem na localização e ação da respetiva película e com a assídua presença do Teclista Alan Clark, Mark Knopfler conseguiu criar uma belíssima partitura que viaja através do espírito das raízes Britâncias onde o tradicionalismo tem um lugar distinto e posteriormente acaba por funcionar como veículo de ligação, ou inspiração, ao presente. Notório que apesar de inspirado pelo argumento e respetiva película, "Local Hero" consegue sobreviver como álbum mesmo sem a visualização da fita pois a excelência dos temas consegue levar-nos a viajar por outros ambientes e imagens, mesmo sem termos visto o filme.
Para além da centralidade de temas como "Wild Theme" ou "Whistle Theme" que no final se fundem no tema principal "Going Home: Theme From Local Hero" há ainda três momentos cruciais em que o tal tradicionalismo atrás referido é preponderante na elaboração da peça principal; "The Ceilidh And The Northern Lights", "The Mist Covered Mountains" e "The Ceilidh: "Louis' Favorite/Billy's Tune", todos executados pelos Acetones, são o claro momento de inspiração do espírito desta obra. Há ainda lugar para um acelerado momento Country/Rock com os Dire Straits em "Freeway Flyer", Jazz em "Boomtown" com o Saxofone de Michael Brecker, o Vibrafone de Mike Mainieri e a secção rítmica Neil Jason/Steve Jordan, respetivamente Baixo e Bateria. A bonita balada "The Way It Always Starts", o único momento cantado do álbum, é interpretada por Gerry Rafferty havendo ainda mais um momento de destaque para "Smooching", um instrumental liderado por Mark Knopfler na Guitarra Elétrica e novamente com as participações de Michael Brecker e Mike Mainieri.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Games - BOB BERG w/ MIKE STERN GROUP


1 Games (Bob Berg)   24:27
2 After You (M.Stern)   16:14
3 After All (M.Stern)   7:59

Na discografia de Bob Berg o álbum "Games" consta como um bootleg, gravação não oficial, que resulta de uma atuação captada ao vivo nos EUA em 1990 do Saxofonista Norte-Americano com a formação do Guitarrista Mike Stern, na altura composta ainda por Lincoln Goines no Baixo e Dennis Chambers na Bateria. Os quatro músicos já tinham trabalhado juntos anteriormente em algumas sessões pelo que o seu encontro no palco demonstra um grande à vontade e segurança. O registo é composto por apenas três temas, bem gravados, e testemunha uma atuação bastante enérgica do quarteto com momentos entusiasmantes que chegam por vezes a atingir elevados níveis de densidade sonora.  Ao longo de todo o registo a intensidade das interpretações demonstra uma banda plena de vida em que o nível e capacidade de entrega e execução produz um Jazz potente, muito moderno, com laivos de Rock.
"Games" é um vigoroso tema de Bob Berg com potentes prestações do próprio Bob Berg e de Mike Stern mas acaba por ser Dennis Chambers quem se evidencia através de um dinâmico solo de bateria que ocupa praticamente metade do tema. "After You" de Mike Stern é a faixa mais equilibrada do Cd com o próprio Mike Stern a iniciar o tema a solo através de um momento calmo e concentrado em que explora alguns efeitos de delay até a banda entrar e acompanhar fielmente esta bonita balada até ao fim, um momento do Cd que pertence claramente a Stern. "After All", também escrito por Mike Stern, é o último tema do Cd e capta mais um momento excitante com Mike Stern a voltar a destacar-se através de um solo estratosférico que se aproxima perigosamente dos níveis do Rock.

terça-feira, 2 de junho de 2015

Everyday, Everynight - FLORA PURIM


Side A
1 Everyday, Everynight (M.Colombier/F.Purim/A.Moreira)   4:57
2 Samba Michel (M.Colombier/F.Purim/A.Moreira)   4:07
3 The Hope (M.Colombier/F.Purim/A.Moreira)   3:39
4 Five-Four (M.Colombier)   3:32
5 Walking Away (M.Colombier/N.Croisille/G.Fattoruso/H.Fattoruso)   4:53
Side B
1 I Just Don't Know (M.Colombier/F.Purim/A.Moreira)   3:57
2 In Brasil (G.Sopuch)   3:49
3 Las Olas (J.Pastorius)   4:22
4 Blues Ballad (M.Colombier/Y.Purim)   1:54
5 Overture (M.Colombier)   2:55
6 Why I'm Alone (J.Hancock)   4:36 

Em 1978 a cantora Brasileira Flora Purim, radicada nos EUA desde finais da década de 1960, contou com os préstimos do compositor Francês Michel Colombier e desta colaboração surgiu este álbum discreto em que se fundem as composições e arranjos de Colombier com as origens Brasileiras de Flora Purim e com o Jazz de um magnífico naipe de músicos altamente credenciados. "Everyday, Everynight" atua assim como um trabalho de género em que a música flui de forma natural por entre momentos singulares que tanto podem ser Canção Ligeira, Samba ou Jazz de Fusão e com Flora de Purim a cantar maioritariamente em Inglês, apenas se ouve cantar em Português no carnavalesco "Samba Michel" e em "Blues Ballad". Há ainda espaço para três instrumentais com os momentos de Fusão "Five-Four" e "Las Olas" (escrito por Jaco Pastorius) e um caraterístico arranjo de estilo Francês, de Colombier, para "Overture". 
A importância da qualidade dos músicos envolvidos nas gravações é aqui incontornável pois todo o trabalho acaba por respirar através da sua importância, força e expressividade; os solos de Trombone de Raul de Souza, os Saxofones de Michael Brecker e David Sanborn, as Guitarras de Lee Ritenour, as enormes presenças de Jaco Pastorius no Baixo e de Herbie Hancock ao Piano, acabam por ser os elementos fundamentais num álbum sem grandes momentos de destaque.