quarta-feira, 30 de setembro de 2009

The Legend Of Jesse James - VARIOUS ARTISTS


Side A
1 Ride Of The Redlegs (R.Crowell, J.Payne, L.Helm, R.Cash) 3:30
2 Quantrill's Guerrillas (L.Helm) 0:56
3 Six Gun Shooting (J.Cash) 3:46
4 Have You Heard The News (A.Lee) 1:42
5 Heaven Ain't Ready For You Yet (E.Harris) 3:58
6 Help Him, Jesus (J.Cash) 3:39
7 The Old Clay County (C.Daniels, L.Helm) 3:35
8 Riding With Jesse James (C.Daniels) 3:02
Side B
1 Hunt Them Down (A.Lee) 3:33
2 Wish We Were Back In Missouri (E.Harris) 4:06
3 Northfield: The Plan (L.Helm) 4:04
4 Northfield: The Disaster (C.Daniels) 3:04
5 High Walls (L.Helm) 3:16
6 The Death Of Me (J.Cash, L.Helm) 3:07
7 The Plot (P.Kennerly) 0:53
8 One More Shot (L.Helm, E.Harris) 5:11

Paul Kennerly é um autor, intérprete e produtor Inglês que, encantado pelo Country, e pelo som de Waylon Jennings em particular, se dedicou a este género e que em 1983 o levou mesmo a mudar de armas e bagagens para Nashville, Tenesse. Paul Kennerly é o autor desta obra conceptual que conta a história do Lendário Jesse James através das vozes de Levon Helm, Johnny Cash, Emmylou Harris e Charlie Daniels, só para mencionar os principais intérpretes, e há tambem a Guitarra de Albert Lee.
Editado originalmente em 1980 este Lp prende a atenção pelos nomes que participam no trabalho e tal reflecte-se no resultado final. É um bom trabalho de música Country em que a participação de Albert Lee na Guitarra Eléctrica dá um toque mais Rock à coisa, assim como a presença de Levon Helm, Voz e Bateria, que fazia parte dessa banda mítica que foram os The Band. O album é composto por vários tipos de canções, sugeridas consoante as situações da história vão sendo retratadas. A Emmylou Harris coube o papel da esposa, e prima, de Jesse James, e os temas em que participa são as duas baladas, "Heaven Ain't Ready For You Yet" e "Wish We Were Back In Missouri". Levon Helm tem o "papel principal" que é o do próprio Jesse James, desde a adolescência até ao fim dos seus dias, e os seus temas identificam-se plenamente pela sua interpretação. A Johhny Cash coube a tarefa de interpretar o irmão mais velho de Jesse James, uma espécie de conselheiro, e aparece por aqui tambem no seu registo habitual. Por fim Charlie Daniels, que canta e toca Violino, tem o papel de Cole Younger, o amigo mais chegado de Jesse, e que acaba por ser dos quatro intérpretes o que mais próximo se encontra do verdadeiro estilo Country. Por último há que referir a grande presença de Albert Lee nas Guitarras, Eléctrica e Acústica. A sua presença é grande e ajuda bastante na criação de uma sonoridade atraente e preenchida, mesmo um ouvinte que não aprecie o género dificilmente conseguirá ignorar o som deste mestre da Guitarra.
Não é uma banda sonora, mas se calhar pode-se considerar uma Ópera-Country.

sábado, 26 de setembro de 2009

The Fire Inside - BOB SEGER AND THE SILVER BULLET BAND


1 Take A Chance 3:41
2 The Real Love 4:40
3 Sightseeing 3:39
4 Real At The Time 3:53
5 Always In My Heart 4:14
6 The Fire Inside 5:56
7 New Coat Of Pain (Waits) 3:26
8 Wich Way 3:57
9 The Mountain 6:45
10 The Long Way Home 4:25
11 Blind Love (Waits) 4:22
12 She Can´t Do Anything Wrong (Davis, Richmond) 3:38

Depois de uma produtiva década de 70 recheada de bons momentos e de uma década de 80 mais calma, mas com êxitos, Bob Seger entrou nos anos 90 de uma forma discreta e pouco produtiva, acabando esta década por se resumir a dois trabalhos editados sendo este "Fire Inside" um deles, editado em 1991. Mantendo a fórmula da sonoridade Rock, tão Americana como a de Bruce Springsteen, Bob Seger rodeou-se de uma série de artistas que ajudaram a completar este trabalho, por aqui passam nomes como: Bruce Hornsby, Acordeão em "Sightseeing" e Piano na balada "Always In My Heart", Roy Bittan, Piano em "The Fire Inside", Joe Walsh, que disputa com Seger o solo de Guitarra em "The Mountain", Bill Payne, Piano em "New Coat Of Pain" e "Blind Love", dois temas originais de Tom Waits, Kenny Aronoff, Bateria na maioria dos temas, a dupla rítmica, Bob Glaub, no Baixo, e Russell Kunkel, Bateria, asseguram essa secção em "The Fire Inside", Steve Lukather, Guitarras acústica e eléctrica, Rick Vito, Guitarra electrica, ...
Num album com nove temas originais e três versões Bob Seger dá aquilo que melhor saber fazer sem grandes novidades, é um album honesto impregnado de boas canções Rock. Uma espreita ao Country em "Sightseeing", duas bonitas baladas, "Always In My Heart" e "Take Me Home", e um bom fecho Rock 'n Roll com a versão de "She Can't Do Anything Wrong".

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Kilroy Was Here - STYX


Side A
1 Mr. Roboto 5:28
2 Cold War 4:27
3 Don't Let It End 4:56
4 High Time 4:33
Side B
1 Heavy Metal Poisoning 4:57
2 Just Get Through This Night 6:06
3 Double Life 3:46
4 Haven't We Been Here Before? 4:06
5 Don't Let It End (Reprise) 2:22

Os Norte-Americanos Styx foram mais uma banda que se embrenhou inicialmente nos meandros do Rock Progressivo mas acabou por evoluir para uma sonoridade mais comercial. Tornaram-se no género que defino de Rock FM, melodias bonitas, bem trabalhadas, e refrões de ficar no ouvido. As estruturas são harmonicamente perfeitas e as canções soam todas muito bem apoiadas por valiosos Riffs.
Este trabalho foi editado originalmente em vynil em 1983 e practicamente ditou o fim da banda, apesar de mergulhado em sucesso de vendas. É um album conceptual, baseado num futuro robotizado em que o Rock'n Roll é marginalizado e quase extinto, criado e elaborado por Dennis DeYoung o vocalista da banda. O tema "Mr.Roboto", que abre o album, foi o grande êxito deste trabalho. Impregnado de Sintetizadores e Vocoders este Single apresentou o album que é composto por bons temas que quase se pode afirmar serem perfeitos demais, tão perfeitos que até chateia. Apesar de serem boas canções não chegam para tornar este trabalho, quase operático, como uma peça indispensável. Confesso-me rendido a "Just Get Through This Night", uma bonita balada que não gostava nas primeiras audições.
A concepção deste trabalho acabou por conduzir ao fim de um primeiro ciclo da banda através da visão megalómana de Dennis DeYoung que pretendia teatralizar a banda definindo assim o caminho a seguir pelos Styx, no entanto só os conduziu ao seu término, se bem que eles andam por aí novamente.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Wind & Wuthering - GENESIS


Side A
1 Eleventh Earl Of Mar 7:39
2 One For The Vine 9:56
3 Your Own Special Way 6:15
4 Wot Gorilla? 3:12
Side B
1 All In A Mouse's Night 6:35
2 Blood On The Rooftops 5:20
3 Unquiet Slumbers For The Sleepers... 2:23
4 ...In That Quiet Earth 4:49
5 Afterglow 4:10

Este Lp, editado em finais de 1976, foi o segundo trabalho da banda após a partida de Peter Gabriel e revela-se um bom trabalho ainda dentro dos parâmetros que defeniram a essência da banda durante os anos de Gabriel.
Wind & Wuthering apresenta os Genesis ainda em boa forma e longe da versão mais comercial da banda, que se viria a revelar nos inícios dos anos oitenta. Tony Banks, o teclista, é neste trabalho o elemento preponderante estando presente na composição de todos os temas, com excepção para a balada "Your Own Special Way", escrita pelo Guitarrista/Baixista Mike Rutherford, e que, curiosamente, é o único tema do album que foge à estirpe mais progressiva da banda. A presença de Banks no grupo sempre foi fulcral pois é o seu som que cria a atmosfera envolvente dos teclados que tanto enchem, e caracterizam, o som dos Génesis. Destaque para "One For The Vine" um tema de Banks e um dos mais fortes deste trabalho. Steve Hackett, o Guitarrista, tem uma presença constante mas discreta com chamada de atenção para "Blood On The Rooftops". Quanto a Phil Collins há só que dizer que assume a liderança das vozes e conduz a banda rítmicamente ao som da sua bateria. A fechar o album estão três temas que resultam num só, tal como uma suite. Começa como uma peça instrumental e termina com um bonito, e celestial, coro de vozes.

domingo, 6 de setembro de 2009

Closing Time - TOM WAITS


1 Ol' 55 3:57
2 I Hope That I Don't Fall In Love With You 3:54
3 Virginia Avenue 3:10
4 Old Shoes (& Picture Postcards) 3:40
5 Midnight Lullaby 3:26
6 Martha 4:30
7 Rosie 4:03
8 Lonely 3:12
9 Ice Cream Man 3:05
10 Little Trip To Heaven (On The Wings Of Your Love) 3:38
11 Grapefruit Moon 4:50
12 Closing Time 4:20

Imagine-se um fim de noite passado dentro de um pequeno Bar envolto num nebuloso condensado de nicotina que sustenta as últimas almas solitárias que ainda se agarram aos seus copos confidentes e se apoiam carinhosamente no velho balcão de madeira enquanto a banda se esconde no seu pequeno canto a executar um repertório composto por pequenos temas acústicos, impregnados de Jazz e Blues, que evocam saudade e solidão. Os clientes do Bar sentem-se confortáveis neste pequeno espaço apesar de estarem totalmente alheios à qualidade musical do repertório que banda distraídamente executa . Os temas que preenchem a atmosfera são introspectivos, para o autor, mas tambem ajudam à introspecção do ouvinte mais carente.
Contado assim soa a melancolia mas Tom Waits tem aqui uma estreia em grande estilo, Closing Time apresenta doze temas únicos que só mesmo Tom Waits poderia escrever. Editado originalmente em 1973, apresento aqui a edição em Cd, este album dava a conhecer a personagem musical de Tom Waits que veio sempre a crescer, a surpreender e cada vez mais criativo. Waits tornou-se um ícone incontornável e o seu estilo veio evoluindo e a odisseia começou aqui.