sábado, 27 de dezembro de 2008

(Lança Perfume) - RITA LEE


Side A
1 Lança Perfume 5:15
2 Bem-Me-Quer 4:19
3 Baila Comigo 5:30
4 Shangrilá 2:53
Side B
1 Caso Sério 5:31
2 Nem Luxo Nem Lixo 5:05
3 João Ninguém 3:38
4 Ôrra Meu! 3:56

Para começar não gosto da qualidade sonora deste vynil, no entanto aprecio o trabalho mais cuidado que parece ter havido em torno deste album de 1980. A parceria com o companheiro Roberto de Carvalho era aqui exposta pela segunda vez e a dupla iam-se revelando frutífera, a troca das guitarras eléctricas pelos teclados evidencia desde logo novas ideias. Os temas deste album denotam maturidade, provavelmente relacionada com o nascimento do primeiro filho.
O album é bastante equilibrado, sustentado por temas bem arranjados e mantendo uma linha coerente em que a música ganha estabilidade. Tanto os êxitos, "Lança Perfume" e " Baila Comigo", como "Bem-Me-Quer", "Caso Sério" ou "Nem Luxo Nem Lixo" formam um núcleo em que se enquadram perfeitamente numa sonoridade Pop mas mais adulta.
"Shangrilá" é um tema em versão acústica que Rita Lee recupera do seu passado, "João Ninguém" é a habitual passagem pelo Reggae e no final do album Rita extravasa toda a sua contenção com a desbunda Rockeira de "Órra Meu!".
Nos créditos finais Rita refere-se ao louco Inverno de 1980 em que as gravações decorreram, no entanto estamos perante um trabalho bastante sóbrio e de qualidade.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Mania de Você - RITA LEE


Side A
1 Chega Mais 3:50
2 Papai, Me Empresta O Carro 3:08
3 Doce Vampiro 4:24
4 Corre-Corre 4:40
Side B
1 Mania de Você 4:51
2 Elvira Pagã 3:17
3 Maria Mole 5:17
4 Arrombou a Festa II 3:33

Menina rebelde, muito dona do seu nariz, e Rainha do Rock no Brasil, Rita Lee iniciava em 1979, com este album, a colaboração musical com o seu companheiro Roberto de Carvalho, Compositor e Guitarrista. O album está repleto de temas que facilmente singram como singles, e o tema "Mania de Você" é mesmo o maior sucesso que a cantora já conheceu.
Se bem que o Pop/Rock predomina há mais géneros que facilmente se identificam por aqui, "Chega Mais" e "Corre-Corre" convidam à dança, em toada mais Disco, "Maria Mole" é um Reggae lento, e duas baladas de perder a respiração, "Doce Vampiro" e a já referida "Mania de Você". O resto é Rock'n Roll.
Um album bem talhado dentro dos bons níveis a que a música popular Brasileira já nos habituou.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Out Of The Cool - GIL EVANS


1 La Nevada 15:37
2 Where Flamingos Fly (Brooks, Courlander, Thea) 5:14
3 Bilbao Song (Brecht, Weill) 4:13
4 Stratusphunk (Russell) 8:04
5 Sunken Treasure 4:16
6 Sister Sadie (Silver) 6:57

Esta é a primeira edição em Cd, completa, deste trabalho original de 1960. Completa porque integra a faixa, "Sister Sadie", escrita por Horace Silver, que só apareceu na edição em vynil de 1978 e pertence à mesma sessão de trabalho.
A Gil Evans Orchestra presenteia-nos com um som agradável, inteligentemente elaborado por esse grande músico que era Gil Evans. De forma discreta e simples, sem grandes virtuosismos ou grandes nomes, aqui toca-se pelo prazer de tocar e o ouvinte sente a música fluir naturalmente à sua volta. A longa faixa "La Nevada" será o maior exemplo dessa sensação na medida em que a música nos é introduzida docemente e vai subindo de tom à medida que os músicos vão entrando e os solos vão fluindo, Tony Studd, em Trombone-Baixo, é bastante cativante.
Este album foi gravado 10 meses depois da conclusão das gravações de Sketches Of Spain com Miles Davis e talvez por isso se note a originalidade da obra. Não soa a Big Band, nem se limita a interpretar Standards, ao invés Evans criou uma sonoridade própria que se evidencia por renunciar ao som mais natural que uma orquestra de Jazz poderia simplesmente apresentar. O tema que mais facilmente se enquadraria numa orquestra de Jazz típica seria o tema original de Horace Silver.
Muito interessante a faixa "Stratusphunk", escrita por George Russell, e que muito bem se enquadra na forma de escrever música de Gil Evans. É um tema que soa moderno e que tendo o Jazz como referência consegue ser mais qualquer coisa fora do âmbito. "Where Flamingos Fly" e "Bilbao Song" são tambem temas a merecer destaque pela forma sóbria como são executados.
Ray Crawford na Guitarra Eléctrica merece uma menção pelo seu fraseado tão limpo e definido e de boa execução, e um novato Ron Carter, no Contra-Baixo, começa já por aqui a dar nas vistas.
Fora do "Cool" mas já no futuro.

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Mesa (Edição Especial - Cd Extra) - MESA


1 Luz Vaga (Participação especial de Rui Reininho) 3:45
2 Esquecimento 3:57
3 Celofane 3:28
4 Mímica Sísmica 3:42
5 Luz Vaga 3:25

O Cd extra que acompanha a 3ªedição deste trabalho apresenta como bónus a versão de "Luz Vaga" cantada a duas vozes por Mónica Ferraz e Rui Reininho e quatro temas que João Pedro Coimbra regravou para as sessões "3 Pistas" do programa de rádio "Portugália" apresentado por Henrique Amaro na Antena 3. Nestas sessões as bandas são convidadas a despir os temas originais e a vesti-los com uma nova roupagem em que o limite é, apenas, só se poder utilizar 3 instrumentos. Os Mesa aceitaram o desafio e aqui está o resultado obtido.
"Esquecimento" acabou por se tornar practicamente numa versão "unplugged" do original, limitado à Voz, ao Piano e a uma Guitarra Acústica. Demasiado banal.
"Celofane" tornou-se bastante interessante. Já não achava o original um tema de fácil adaptação mas esta nova roupagem tornou o tema ainda mais misterioso e envolvente. Muito bem conseguido, de forma simples com um Juno 106 e uma Guitarra Acústica.
Quando ouvi o tratamento dado a "Esquecimento" receei por "Mímica Sísmica", felizmente foi respeitado o ambiente Electro/Pop do tema e mesmo assim ainda o conseguiram tornar mais Electro do que já era. Bom resultado.
A acabar, mais uma vez "Luz Vaga". Igual ao que já era mas com um Contrabaixo a dar-lhe um toque mais Jazzy, mas é só mesmo o toque.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Mesa (Edição Especial) - MESA


1 Tinta Invisível 4.15
2 Mímica Sísmica 3.53
3 Esquecimento 4.17
4 Divagadora 3.29
5 Celofane 3.19
6 Luz Vaga 3.42
7 Sequela 3.18
8 Fumo da Frase 3.48
9 Polegar: o movimento 4.40
10 Intenso 3.09
11 Dona do Mal 4.13
12 Filamento 5.26
13 Intermitente? 1.23
14 Restless Minds (faixa extra) 4.47

Continua a vir do Norte, nomeadamente da cidade do Porto, algum do melhor som que por cá se tem feito nos últimos anos e os Mesa não são excepção, a comprová-lo está este album da banda que na realidade é composta por dois elementos apenas, João Pedro Coimbra, o criador e mentor do projecto, e a vocalista Mónica Ferraz. O som dos Mesa é composto por uma sonoridade Pop/Electrónica, cantada, de forma perfeita, em Português. É recorrente a utilização de Samplers e é muito bem conseguida a sua utilização na faixa "Restless Minds", que aqui aparece como faixa extra, em que a voz de Scott Walker foi samplada do tema original "30th Century Man" e foi colada num novo tema criado por João Pedro Coimbra.
Como já referi, a Pop/Electrónica domina o album que tambem nos oferece algum Trip Hop, e um interessante arranjo de Piano e Cordas em "Sequela". "Mímica Sísmica", "Esquecimento" e "Luz Vaga" foram os temas que mais rodaram e que facilmente se enquadram na lista de músicas obrigatórias da música Portuguesa. Não posso deixar passar despercebidos os temas "Divagadora", algo glamorouso, e "Dona do Mal", que faz lembrar os Clã mas a revelar-se uma faixa possante, com muita firmeza a puxar para o lado mais Rock.
Obrigatório conhecer.